Feirão da Caixa começa sexta no Riocentro. Cuidado para o sonho da casa própria não virar um pesadelo

Feirão da Caixa começa sexta no Riocentro. Confira as dicas dos especialistas aos compradores

Rio -  O sonho da casa própria está mais próximo de se realizar com a 8ª edição do Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal, que acontece de sexta a domingo no Riocentro, conforme o Caderno Imóveis de O DIA antecipou em 8 de abril. O comprador interessado pode aproveitar o feriado de hoje para reunir a documentação necessária, como os três últimos contracheques e o certificado de ‘Nada Consta’ (confira no quadro abaixo).

Para o comprador saber se o financiamento cabe no bolso, a Caixa vai espalhar tendas com especialistas aptos para calcular na hora sua faixa de renda, orçamento e poder de financiamento. O feirão terá 430 mil unidades no País, sendo 46 mil só no Rio. A grande procura será por imóveis novos.

Para quem tem urgência, as 4 mil unidades prontas para morar, como as do ‘Vitória Nova Iguaçu’, da MDG Realty, são uma opção.

“O comprador tem a possibilidade de reservar o imóvel para conhece-lo melhor antes da compra. Boa parte das vendas seguras feitas são no pós-Feirão”, destaca o diretor da Living Construtora, Alexandre Calazans.

A PDG ofertará 700 unidades, 400 pelo programa ‘Minha Casa, Minha Vida’. As parcelas podem ser financiadas a partir de R$99.

A Construtora Living levará o lançamento ‘Parque dos Sonhos’, com apartamentos a partir de R$ 116 mil. Serão 68 unidades, já em fase de construção: “Observe atentamente as maquetes para entender o empreendimento e não ter surpresas”, conclui Calazans.

Fuja das armadilhas

No caminho até o fechamento do contrato, o primeiro passo deve ser verificar a idoneidade da empresa: “O site do Tribunal de Justiça (www.tj.rj.gov.br) é um aliado nessa pesquisa. Isso pode ser feito após o primeiro contato no feirão”, adianta o advogado imobiliário Sergio Sender.

Ainda segundo o especialista, é seguro verificar se o memorial de incorporação foi cumprido devidamente: “O documento deverá estar obrigatoriamente arquivado no Registro de Imóveis do cartório da capital. Nessa papelada dá para saber se o ‘habite-se’ foi concedido e se livrar de futuras dores de cabeça”, explica Sender.

Também é preciso ter nome limpo e renda compatível com a unidade em oferta: “Meu conselho é: fuja da empolgação. Certifique-se de que está fora da lista das agências de cobrança e calcule seu poder de compra. No feirão haverá simuladores no local e o cliente conseguirá ver quanto pode financiar”, destaca economista do Ibmec Gilberto Braga.

A comprovação de renda também tem que ser feita com alguns documentos: “As construtoras pedem os três últimos contracheques do comprador, além de registros de ‘Nada Consta’ e outras pedem tempo mínimo de empregado”, conclui Sergio Sender.

O que observar no evento

A maquete do empreendimento não pode apenas impressionar, mas servir como base de análise. Detalhes como horário da luz do sol no imóvel e pontos de referência são importantes.

“Esses detalhes precisam ser vistos de perto. É importante ir até onde fica o empreendimento”, lembra o consultor financeiro Sergio Braga.

Diretor da Living Construtora, Alexandre Calazans orienta negociação: “Peça para o vendedor no stand reservar o imóvel e visitar no local. Isso é fundamental para uma boa compra”, diz.

De lupa

FGTS — O economista do Ibmec Gilberto Braga destaca a importância do uso do Fundo de Garantia para viabilizar o financiamento. Para gastos paralelos, como cartório e formulação do contrato, use a restituição do Imposto de Renda.

PROJEÇÕES — As maquetes nos stands de compra são simulações bem próximas da realidade do empreendimento. No entanto, algum detalhe pode passar despercebido. Por exemplo, a distância curta entre um prédio e outro.

Fonte: Jornal O DIA online, http://odia.ig.com.br

Compartilhe

Participe

Carregando...

Buscar

Compartilhe