Empresários de ônibus diversificam negócios e até vendem veículos para si mesmos.

As 43 empresas que formam os quatro consórcios responsáveis pelo sistema de ônibus na cidade do Rio são apenas uma parte de um emaranhado de negócios que parece não ter fim. Um levantamento feito pelo GLOBO mostra que, através de holdings criadas pela Fetranspor, empresários de todo o estado estendem suas ações para o sistema de barcas; o futuro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Centro; terminais rodoviários; e agência de publicidade para os coletivos. Além disso, ainda garantem a exclusividade sobre o desenvolvimento de tecnologias e a operação da bilhetagem eletrônica, até nas vans legalizadas.

Um outro exemplo claro de como é amplo esse poder é o Grupo Guanabara, da família de Jacob Barata, considerado o “Rei dos ônibus”. A concessionária Guanabara Diesel forneceu todos os mais de cem coletivos que circulam no BRT Transoeste e presta assistência ao sistema. E mais: a Guanabara 13, revendedora de veículos usados, vende parte da frota que sai de operação na cidade.


Filas de ônibus na entrada do Edifício-Garagem Menezes Cortes, no Centro: taxa de R$ 5,11 por veículo
Foto: Hudson Pontes / O Globo

Fonte:Jornal O Globo.com

Compartilhe

Participe

Carregando...

Buscar

Compartilhe