Notícia do Dia:Torcedor processa a Fifa por desconto na devolução de ingresso da Copa.

Ricardo Oliveira pede quase R$ 29 mil em indenização.

A Fifa ganhou mais uma dor de cabeça por conta da Copa do Mundo no Brasil. O torcedor Ricardo Oliveira entrou com uma ação na Justiça contra a entidade máxima do futebol. O motivo é um desconto, previsto em contrato, dado pela organização no valor referente à devolução de dois ingressos. O fato fere o Código de Defesa do Consumidor brasileiro. O consumidor se sentiu lesado e deu entrada em uma pedido de indenização no valor de R$ 28.960.

"Comprei dois ingressos para o jogo Portugal e Gana, em Brasília. Já morei lá, mas, na hora de comprar as passagens aéreas e procurar hotéis, eu vi que os bilhetes de ida e volta estavam custando R$ 1.800. Desisti na hora e solicitei a devolução do meu dinheiro à Fifa no mesmo dia da compra", explica o estudante de direito.

A compra foi feita no dia 12 de março e Ricardo pagou, ao todo, R$ 700 em dois ingressos para o jogo envolvendo os lusos e os africanos. Ao solicitar o cancelamento via telefone, um atendente o instruiu que o pedido deveria ser enviado por e-mail. Feito isso, na hora da devolução, o estudante percebeu o desconto de 10% no valor pago originalmente.

"Eles me devolveram um estorno de R$ 630 no meu cartão de crédito, alegando que os R$ 70 descontados eram para compensar custos da transação na compra dos ingressos", explicou. Segundo o torcedor, a falha da Fifa vai ser resolvida na Justiça brasileira.

Ricardo afirmou que o desconto estava previsto no contrato, disponível no momento da compra pelo site da Fifa. Mas o torcedor não leu os termos pois poderia perder tempo na correria pelos ingressos.

Associação de Assistência ao Consumidor faz críticas ao contrato da Fifa

O advogado José Roberto Soares de Oliveira, presidente da Associação Nacional de Assistência ao Consumidor e ao Trabalhador (ANACONT) e que representa Ricardo ao lado de Sandro Tiuba Souza Cruz, defende que neste caso citado acima, a Fifa está ferindo o Código de Defesa do Consumidor brasileiro.

"O Procon dá o direito ao consumidor de desistir de uma compra em até sete dias, sem que ele não tenha nenhum ônus por isso e o Ricardo desistiu dentro deste prazo. Nesse contrato da Fifa, esse período é de apenas 96 h, isso fere o Código de Defesa do Consumidor", explicou o advogado, que argumenta que o Artigo 49/parágrafo único, do CDC, foi descumprido pela Fifa.

Fonte:Jornal O Dia.com.br

Compartilhe

Participe

Carregando...

Buscar

Compartilhe